domingo, 28 de janeiro de 2018

Marcio presente!








Lá longe
no assentamento Boa Sorte 
no Una da Bahia
o jovem lider camponês 
Márcio Matos
 vivia na terra prometida
repartida na luta,
 cultivando a vida!

Na noite de lua cheia
no terreiro da casa simples
atacado com covardia
por mãos assassinas
sujas de sangue
diante do filho menino
  colheu a morte
no luto veio a luta,
virou semente!





In Memoriam do companheiro Marcio Matos,30 anos,dirigente do MST e integrante do Partido dos Trabalhadores, assassinado na frente do filho de 6 anos, na noite desta quarta-feira (24-jan.-2018) 



sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Só Risos...








Nas pontas
duma ponte movel
solitários e valentes
dois dentes,
que sós restaram,
resistem contentes
e sorridentes!





terça-feira, 22 de agosto de 2017

Saudades






no começo
em você 
só ví encantos
hoje sozinho 
ando pelos cantos
com tantos desencantos
não mais canto
inspiro,aspiro,respiro
no meu pranto
saudades!





domingo, 30 de julho de 2017

FRANCISCO










O Papa Francisco em sua primeira aparição pública,na janela do apartamento papal,que dá vista para a grande Praça de São Pedro,em Roma,no primeiro domingo após sua eleição,as 12 horas em ponto,diante de uma multidão de fieis,que acorreram para rezarem com ele o Angelus, surpreendeu a todos com sua voz suave,com um Buongiorno (bom dia) e fez questão de parar para ouvir a multidão responder Bom Dia! Ao final de sua prédica e oração,deu a benção e desejou a todos Buon Pranzo (bom almoço) e ao final depois dos aplausos, um Arriverdeci (até logo).
Domingo ultimo,novamente nos lembrou ,em sua fala simples e ao mesmo tempo inovadora as palavras mágicas da boa convivencia e do respeito mutuo:Per favore (por favor), Grazie(obrigado), Permesso(com liçença) etc...
Simples assim, foi preciso o Papa Francisco a nos lembrar,mais uma vez,aquilo que deveria ser corriqueiro,e de uso diario entre as pessoas!






quinta-feira, 20 de julho de 2017

TESTAMENTO

Quando eu morrer quero um caixão de madeira crua, com seis alças e sem brocados.
Vistam-me com o terno cinza,camisa branca e a gravata azul.
Derramem sobre mim, o resto do meu perfume Portinari.
Nada de flores, nas mãos apenas um ramo de oliveira verde.
Que ardam nos cantos quatro velas de cera de abelha com odor do mel.
Em câmara ardente ouçam minhas músicas preferidas para a ocasião:
O Adagio de Albinone e As Quatro Estações de Vivaldi e Don Giovanni de Mozart.
Que silenciem as línguas dos malidícentes!
O cafezinho estará liberado, mas sem açucar!
No cortejo até a cova,nada de carrinhos de empurrar ou motorizados.
Quero seis homens assim escolhidos: nas alças da cabeceira meus dois filhos,nas medianas meus dois netos,e nas derradeiras o mais novo deles a direita e a esquerda aquele que me amou por ultimo!
O choro contido será liberado para as mulheres,porém as lágrimas das três que amei em vida, já partiram antes de mim e lá me aguardam.
Desejo que na hora das despedidas finais,chova copiosamente e todos saiam depressa,sem olharem para trás,deixando-me em paz na cova rasa!
Ao retornarem, passem antes pela minha casa, lá não encontrarão dinheiro ou joias,mas repartam entre sí, minhas telas,
desenhos,poemas, livros,discos,etc...
Em tempo,se encontrarem entre páginas de algum livro, uma carta de amor e um poema a mim dirigidos não os leiam, por favor lancem ao fogo! 
Parafraseando o poeta termino: aqui me calo,aqui me fino!